Ser mulher

Quem nunca ouviu a frase “Cada um sabe a dor e alegria de ser o que é.”, de Caetano Veloso? Essa frase resume muito a experiência individual que cada um de nós traz internamente sobre o que é viver. Mas vamos falar sobre o que é ser mulher?

Ser mulher ainda é um mistério para muitos estudiosos no assunto, para quem se relaciona com elas e principalmente para ela mesma. Pois há algo mais incompreensível do que a mudança hormonal que mexe com o seu humor todos os meses chamada TPM? E quando se entra em menopausa? Para muitas mulheres fica ainda mais complexo nesse período.

Ser mulher é carregar em si uma vontade de acolher o sentimento do mundo em seu coração, de ter que explorar seu lado materno – o protetor, aquele que ama e cuida todos os que ama, independente de serem seus filhos ou não. Esse laço materno se expande a quem ela quer bem, ouvindo, dando conselhos, cuidando e nutrindo de amor amigos, colegas de trabalho e seus parentes.

Ser mulher não é só ter útero, ovários e seios fartos para sair exprimindo uma sensualidade tentando conquistar através da sedução o que ela quer. Isso é menosprezar toda a sua inteligência que pode ser empregada em outras formas de representações, em seus pensamentos e estudos, na sua garra para entrar no mercado de trabalhar e ter que deixar de ser sensível muitas vezes para encarar com firmeza as dificuldades da vida.

Ser mulher é querer partilhar o que tem de melhor em si com os outros. É ter uma forma de amar muitas vezes não compreendida. Ser mulher nem sempre é fácil, a questão da falta assim como acontece com os homens, do encaixe que ela busca no outro e no mundo muitas vezes só se aprende que o encaixe só pode existir com ela mesma e dentro dela.

Ser mulher pode ter também um lado mais dramático em algumas mulheres que guardam por muito tempo os sofrimentos que passaram e não querem se libertar deles porque acha que eles as impulsionam para a vida. Mas de fato, o que nos impulsiona para a vida é querer vivê-la a cada dia mais.

Ser mulher muitas vezes é lutar contra a balança, é querer vestir aquelas roupas antigas que já não representam mais a sua imagem, mas elas relutam e lutam para manter a pose!

Ser mulher pode ser este tipo de força presente em sua artimanha e sua manipulação que cabe muito mais ao universo das mulheres do que ao dos homens. Mas nem sempre essas mulheres têm noção de que agem de forma negativa, enquanto podem usar a força de suas palavras em direção de algo melhor.

Ser mulher é ter que enfrentar a sociedade que a cobra ainda se ela quer ou não quer ser independente, ter filhos e ainda por cima ter um marido. Como podemos deixar que isso corrompa nossos verdadeiros sonhos e quem somos de verdade? Por isso que ser mulher é se descobrir a cada dia lutando muito para ser quem é e não quem os outros querem dela.

Ser mulher é aprender que o “não” pode ser dito de várias maneiras, mas que em determinadas situações, ele precisa ser muito evidente: Não quero isso!

Ser mulher é o que muitos homens não entendem, mas podem apenas aprender a amar. Aliás, muitos homens se encantam justamente pela mulher que amam por ela ser esse mistério todo, uma surpresa a cada momento, uma pessoa que nem sempre vai ser previsível porque acha chato demais isso.

Ser mulher, acima de tudo é saber que não somos animais domésticos de ninguém, que podemos e devemos sempre buscar a nossa felicidade, independente do que é felicidade para os outros.

Ser mulher é muito mais do que se pode exprimir em palavras nesse texto, porque temos tantas variedades de comportamento e de modo de pensar que não se pode jamais dizer: Uma mulher é igual a uma a outra porque cada uma de nós é realmente única.